HomeDestaque 1Os desafios da educação no século XXI – Artigo de Viviane Raquel Rocha
Colégio M2 Lagoa Santa

Os desafios da educação no século XXI – Artigo de Viviane Raquel Rocha

A educação no mundo contemporâneo tem passado por muitas e rápidas transformações. Se formar sabendo apenas ler, escrever, somar e multiplicar deixou de ser a única “obrigação” dos estudantes. Hoje, logo que iniciam sua vida acadêmica, já estão sendo preparados para os desafios do século XXI.

Leia também: Começa hoje (13) a 36ª Expo Jabó 2018 – confira as atrações

O conhecimento deixou de ser exclusivo de livros, o conhecimento está fora da redoma, e esse é um grande desafio de professores e das escolas – assimilar as transformações; criar métodos para atrair a atenção dos estudantes; agregar conhecimento a eles oferecendo algo além do que eles poderiam obter na internet.

M2 Lagoa Santa

Entre as principais habilidades da educação para o século XXI, o bilinguismo, as competências socioemocionais e o pensamento computacional são as apostar mais assertivas das escolas modernas. Incluir essas habilidades em sua grade curricular fará toda diferença na vida do estudante quando ele entrar de vez no mercado de trabalho, cada vez mais globalizado e desconhecido.

Em uma conversa com a Diretora Pedagógica do Colégio M2, a educadora Viviane Raquel Rocha, ela contou um pouco sobre cada uma dessas novas habilidades educacionais. Compreender como elas podem ser incorporadas no dia a dia dos alunos e, consequentemente, causarem a transformação necessária e desejada na educação fará toda diferença, confira.

Ensino Bilíngue

Num mundo interligado e conectado como o que vivemos, conhecer e dominar um novo idioma produz um efeito profundo no cérebro, melhorando as habilidades cognitivas como a percepção, atenção, memória, raciocínio, imaginação e linguagem.

Após uma pesquisa no mundo todo sobre educação bilíngue, a psicóloga Elizabete Flory, doutora em bilinguismo pelo Instituto de Psicologia da USP, constatou as vantagens cognitivas desse ensino, explicando que “A primeira é uma certa antecipação da consciência metalinguística – eles se dão conta de que o objeto tem palavras diferentes para representá-lo e diferenciam com qual língua falar com cada pessoa” e, outro benefício é uma possível antecipação de pensamento cognitivo em cálculos: “Isso está ligado ao desenvolvimento da lógica, pois as crianças bilíngues aceleram essa forma de pensar”.

É importante que o trabalho com a segunda língua se inicie ainda na Educação Infantil, pois segundo estudos na área de desenvolvimento humano, é na primeira infância que o cérebro está mais receptivo a esse tipo de aprendizagem.

Colégio M2

Bilinguismo já está inserido na grade curricular do Colégio M2 a partir dos 3 anos.

 Competências socioemocionais

Os profissionais do século XXI deverão ser preparados de forma integral, considerando a formação humana e as possibilidades de relacionamento intra e interpessoal como eixos fundamentais dessa formação. Empresas de vanguarda já exigem de seus candidatos a vagas de emprego, protagonismo em seu próprio desenvolvimento e da comunidade em seu entorno.

Para que o indivíduo dê conta dessas exigências, faz-se necessário o desenvolvimento de competências socioemocionais, aprendendo a controlar suas emoções, manter o foco, ser empático, manter relações sociais positivas e, sobretudo, ser ético na tomada de decisões de, entre outros.

Para além do modismo, o desenvolvimento dessas habilidades sempre foi uma preocupação da educação, porém sempre deixado em segundo plano. É necessário que a inclusão de competências socioemocionais na educação seja intencional e não uma fórmula mágica. Acredito que iniciar o trabalho de forma sistemática é imprescindível até que se torne um elemento indissociável das demais aulas e projetos da escola.

M2 Lagoa Santa

Colégio M2 acompanha as transformações e exigências do século XXI na forma de ensinar.

Pensamento Computacional

A tecnologia está em alta e as novas gerações estão expostas a ela desde o nascimento, mas, como afirma João Lacerda, presidente da Mind Makers:

“inegavelmente, a geração atual é comandada pela tecnologia. Mas não é por ter nascido em uma época com tecnologia abundante que a criança será capaz de controlá-la. É preciso fornecer conhecimento para que, no lugar de um simples usuário, o jovem consiga produzir por meio dela”.

Cabe, portanto, à escola esse papel fundamental de desenvolver com os estudantes um pensamento crítico e, sobretudo, de uso e domínio responsável e inteligente das tecnologias disponíveis.

As aulas de pensamento computacional devem extrapolar o domínio dos conceitos matemáticos e de lógica, conduzindo a um pensamento estratégico de resolução de problemas, trabalho colaborativo e as competências socioemocionais, entre tantas outras vantagens.

Podemos iniciar a transformação da educação em pequenos e rápidos passos em direção à formação integral desses profissionais do século XXI focados inicialmente nessas habilidades e atentos ao que o mercado de trabalho tem exigido de seus profissionais. A escola precisa transpor seus muros mais do que nunca. Esse artigo não pretende esgotar o assunto sobre possibilidades de vencer desafios atuais, mas de instigá-lo a refletir e buscar soluções que modifiquem a educação atual sem que sua escola fique para trás.

Destacou a Diretora Pedagógica do Colégio M2, a educadora Viviane Raquel Rocha.

Colégio M2 Lagoa Santa

Para escolas que estão em busca não só de inovação, mas de causar um impacto positivo e sustentável na vida de seus alunos e sociedade, existem desafios a serem superados. Por isso, quanto antes começar o investimento na educação dos filhos, mais preparado ele estará para as “surpresas” do futuro.

Para se ter ideia, até 2030, 85% das profissões a serem exercidas por essa geração de agora, ainda nem existem. Esse estudo foi realizado pela Dell Technologies, em parceria com o Institute for the Future (IFTF).

Em uma época em que há tanta abundância de informação, é impensável a ideia de que o estudante chega em sala de aula “vazio”. Ele também traz conhecimento, então tem a necessidade de interagir e fazer parte do processo.

Os desafios são muitos papais e mamães, invistam na educação de seus filhos!

Por Felipe Cruz

Formado em Jornalismo pelo Uni-BH, especializado em Marketing Político e Mídias Digitais. Ceo do Vetor Norte Notícias e diretor de conteúdo.
“Cerque-se de pessoas que querem ver você crescer!”

Contato: (31) 99659-0015

Fullys
Compartilhar com:
Classifique este artigo
Sem Comentários

Comente